A Leite Brasil
Ações
Estatísticas
Artigos
Legislação
Fale Conosco

 

Nota sobre debate na Expomilk 2005

Brasil, Maior Exportador de Lácteos do Mundo ?

Clique aqui para fazer download do arquivo do texto abaixo

Clique aqui para fazer download da foto do publico presente no debate

Clique aqui para fazer download da foto dos entrevistados e debatedores

 

Exportações de lácteos foi tema de debate na Expomilk

Os organizadores se surpreenderam com a grande presença de publico no debate “Brasil, Maior Exportador de Lácteos do Mundo ?, promovido na Expomilk dia 28 de julho em São Paulo.

Para Jorge Rubez, presidente da Leite Brasil, que fez um balanço do debate, tudo deu certo desde a escolha do tema, o nome dos especialistas que aceitaram o desafio, do slogan “Grandes Personalidades no Maior Debate do Ano” utilizado na campanha durante três meses, culminando com um publico em dobro ao esperado.

Para Rubez ficou claro que, independente da situação política atual, o agronegócio do leite continua crescendo, contribuindo com a riqueza do país.

Fábio Meirelles, presidente da FAESP e do SENAR São Paulo, entidades parceiras no evento, foi o convidado especial que na abertura do debate exaltou a força do agronegócio brasileiro e do leite que conseguiu seu destaque passando de importador para exportador.

Participaram do debate Ivan Zurita, presidente da Nestlé, o jornalista econômico Joelmir Beting e o Deputado Federal Xico Graziano como entrevistados Os debatedores foram o coordenador do portal MilkPoint, Marcelo Carvalho, Vicente Nogueira Neto, da Confederação Brasileira das Cooperativas de Leite e o jornalista Carlos Raíces do Valor Econômico.

Joelmir Beting destacou que um dos problemas que precisa ser encarado com urgência é a questão do câmbio desfavorável às exportações. Citou o exemplo da Argentina que adota uma política cambial e faz de tudo para manter competitivos seus produtos no mercado internacional.

Para o Deputado Xico Graziano o caminho ainda é longo para o Brasil para se tornar o maior exportador mundial. Enquanto a Nova Zelândia exporta quase a totalidade de sua produção de 11,3 bilhões de litros, o Brasil embarcou cerca de 600 milhões de litros em 2004. Disse que “de nada adianta ser o maior do mundo se o produtor não estiver ganhando”. Graziano foi enfático ao afirmar que “precisamos de uma política de incentivo do consumo de leite também no mercado doméstico".

O presidente da Nestlé Ivan Zurita considera a China um potencial consumidor de leite pois não tem área para expandir sua produção. É em relação ao Brasil pois é o único país que tem potencial de crescimento e competitividade mundial. No clima de discussões sobre o mercado interno o executivo da Nestlé informou que a cada 3% de crescimento, a empresa tem de fazer uma nova fábrica.

Para informações, texto em arquivo eletrônico e fotos www.leitebrasil.org.br

Associação Leite Brasil - fone: (11) 221-3599 - leitebrasil@leitebrasil.org.br

Agosto/2005